Identificar um alvo potencial da droga para as doenças neurodegenerativas

Junho 18, 2016 Admin Saúde 0 1
FONT SIZE:
fontsize_dec
fontsize_inc

Uma equipe internacional de pesquisadores liderada pelo Instituto Karolinska, em Estocolmo (Suécia), descobriu que um grupo de enzimas conhecidas por seu envolvimento na morte das células pode contribuir para a inflamação na doença cerebral.

Terapias que bloqueiam a actividade destas caspases podia proteger os neurónios em doenças neurodegenerativas tais como a doença de Parkinson ou doença de Alzheimer.




Os resultados do estudo, que envolveu pesquisadores da Universidade de Sevilha e do Instituto de Biomedicina desta cidade andaluza.

Eles descobriram que a sinalização da caspase regula a actividade das células cerebrais chamadas microglia.

Células microgliais no cérebro saudável inclui a eliminação de resíduos e são essenciais para o bom funcionamento do cérebro.

Acredita-se que estas mesmas células contribuem para as doenças neurodegenerativas através da secreção de neurotoxinas inflamatórias.

Os pesquisadores mostraram que o bloqueio caspase ativação cascata de microglia é impedido, reduzindo neurotoxicidade em cérebro de rato.

A activação de caspa é também evidente na microglia nos cérebros dos pacientes de Alzheimer e de Parkinson, indicando que os resultados em roedores pode ser aplicado em humanos.

Terapias que bloqueiam a actividade de caspases e pode ajudar a proteger os neurónios vulneráveis ​​às doenças neurodegenerativas através de um mecanismo indirecto, que controla a activação da microglia.

(0)
(0)

Comentários - 0

Sem comentários

Adicionar um comentário

smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile
Caracteres restantes: 3000
captcha